Avianca Cultural - Roque Santeiro é encenado em forma de musical

Avianca Cultural - Roque Santeiro é encenado em forma de musical

A trajetória do falso herói de guerra que foi sucesso de audiência na TV Globo em 1985 faz sua estreia no palco do Teatro FAAP

15 de Fevereiro de 2017

Roque Santeiro finalmente estreou como musical, formato pensado originalmente pelo autor Dias Gomes, depois de ter sua montagem proibida no período do regime militar e ter sido adaptada com grande sucesso na TV nos anos 80. O clássico já pode ser visto até o dia 14 de maio às sextas, sábados e domingos no palco do Teatro FAAP.

A peça conta a história de Roque Santeiro, que foi transformado em herói e lenda na cidade fictícia de Asa Branca. Após ser morto em combate na tentativa de defender a cidade, a lenda de Roque passa a movimentar a economia do município. Só que para o desespero dos poderosos e interesseiros de Asa Branca, Cabo Roque não está morto e o volta para cidade dezessete anos depois, causando uma grande reviravolta na vida de seus habitantes.

Escrito por Dias Gomes em 1963, um ano antes do golpe civil-militar no Brasil, o texto original “O Berço do Herói” seria encenado nos palcos em 1965, mas foi censurado pelo regime. Em 1975, Dias Gomes adaptou a história para a televisão pela primeira vez, com Betty Faria como a viúva Porcina e Lima Duarte como Sinhozinho Malta, mas, outra vez, foi barrado pela censura e seu primeiro capítulo nem sequer foi exibido. Somente em 1985, com o processo de democratização do país, o folhetim pôde ser encenado na TV.

No espetáculo, Jarbas Homem de Mello é Chico Malta (papel de Lima Duarte na TV), Livia Camargo faz a viúva Porcina (Regina Duarte), Flávio Tolezani vive Roque Santeiro (José Wilker), Mel Lisboa interpreta Mocinha (Lucinha Lins), filha de Dona Pombinha (Eloísa Mafalda), vivida pela atriz Nábia Villela, e do prefeito Florindo Abelha (Ary Fontoura), interpretado por Dagoberto Feliz. Ainda integram o elenco Edson Montenegro (Padre Hipólito), Luciana Carnieli (Matilde), Yael Pecarovich (Rosali), Giselle Lima (Ninon), Marco França (Toninho Jiló), Samuel de Assis (Zé das Medalhas), e Cristiano Tomiossi (General). A peça é tem o apoio da Avianca Brasil, direção de Débora Dubois e trilha assinada de Zeca Baleiro.

 

Serviço

Onde: Teatro FAAP (Rua Alagoas, 903 – Higienópolis, São Paulo)

Quando: de 27 de janeiro a 14 de maio; Sextas e Sábados às 21h e Domingos às 18h

Quanto: Sextas R$ 80,00 (inteira); R$ 40,00 (meia). Sábados e Domingos R$ 90,00 (inteira); R$ 45,00 (meia) Duração: 120 minutos (sem intervalo)

Classificação indicativa: 14 anos Ingressos:

Bilheteria de quarta a sábado das 14h às 21 e domingo das 14h às 18h

Mais informações: (11) 3662-7233 / 7234 | www.faap.br/teatro